Mas é tanta coisa – Não tenho tempo para nada!

Relato de um dia típico de boa parte das pessoas e sabe o que elas tem em comum? Não querem abrir mão de nada.

Você foi dormir tarde porque não conseguiu finalizar tudo o que havia planejado, e para não sobrar demandas para o dia seguinte então dormiu pouco. O que já iniciou seu dia prejudicado, mas o dia seguinte chegou.

O celular tocou cedo e a quantidade de demandas também. É trabalho, é filho, é família, é academia, é dieta, é estudos, é casa, é conta, é supermercado. É tanta coisa!

E se você não se identificou com boa parte das coisas aqui exemplificadas, é bem provável que você tenha outras várias.

A sensação do fim do dia é: hoje eu não consegui fazer nada!

Relato de um dia típico de boa parte das pessoas. E sabe o que elas tem em comum? Não querem abrir mão de nada.

A demanda de vida atual é tão grande que quando a gente não corresponde é uma sensação de fracasso. O sentimento é que o dia deveria ter 30 horas ou mais. Mas eu posso apostar com você que se houvesse 30 horas no dia (ou mais) você acharia pouco, e gostaria de ter mais tempo. Porque você sempre preencheria mais e mais esse tempo. Você começaria a aumentar esse demanda sempre, o sentimento é que ela é infinita, e novamente não seria suficiente.

Então, se partirmos do pressuposto que o tempo nunca é o suficiente, o que está “errado”?

Talvez a palavra não seja errado mas ninguém quer abrir mão de nada. As pessoas querem conseguir conciliar tudo, e claramente algo sai prejudicado.

É necessário abrir mão de alguma coisa em ordem de se ter outra. Se você tem muitos a fazeres dificilmente vai conseguir realizar todos muito bem feitos. Pois uns devem ser sucesso, outros vão ser meia boca e outros vão ser péssimos.

Nos casos que o indivíduo percebe que outras coisas não estão indo bem, para além do sentimento de fracasso entra o sentimento de desespero. Afinal como resolver?

Não tem receita mágica. Na terapia talvez você consiga descobrir o que de fato é prioridade e o que não é, e como remanejar tantas funções. Porque talvez seja possível reajustar de uma forma que tudo saia com sucesso ou notar que novos planos terão que ser construídos, pois os atuais não estão funcionando.

Sou Psicóloga e vou compartilhar com vocês um pouquinho desse mundo, desfazendo questões, criando novas perspectivas e trazendo novos questionamentos.